“Kesa” e “A Gueixa e o Cavaleiro”

 

Kesa e A Gueixa e o Cavaleiro fazem parte do repertório do Teatro da Loïe Fuller.

 

Charles Léandre, Otojirō Kawakami e Sada-Yacco no Teatro da Loïe Fuller, 1900

 

KESA

Drama japonês em 2 atos

 

Kesa . . . . Sada Yacco

Morito . . . . Alojiro Kawakami

Doji . . . . Fryrkawa

Watabane (Rival de Morito) . . . . Yamamoto

Koromo (Mãe de Kesa) . . . . Tsusaka

Ladrão . . . . Nogaki

Ladrão . . . . Takanami

 

ARGUMENTO

 

1º ATO

Quatro viajantes: uma moça chamada Kesa, sua mãe, uma criada de quarto e um empregado atravessam uma região isolada. Eles são atacados por bandidos que levam prisioneiras Kesa e sua criada. Um jovem cavaleiro, Morito, que percorria as montanhas, encontra a mãe de Kesa ferida, prostrada no chão. Ela lhe suplica para que resgate sua filha.

Morito penetra no abrigo dos ladrões, os quais, conhecendo a coragem do cavaleiro, não se atrevem a negar-lhe imediatamente Kesa. Eles tentam entretê-lo enquanto escondem a moça. Contudo, Morito acha um leque caído das mãos da prisioneira. Os ladrões, vendo-se descobertos, tentam assassinar Morito. Mas ele se defende e ataca-os, derrotando-os.

A mãe de Kesa promete ao jovem herói a mão de sua filha como recompensa. Mas, como cavaleiro, ele tem de retirar-se para combater.

 

2º ATO

Três anos mais tarde, Morito, de volta, encontra Kesa em uma recepção. Ele sabe que na sua ausência ela se casou com Watabane, seu rival. Ele pede novamente a mão de Kesa e jura matar a mãe dela, já que esta não pode concedê-la. Para salvar a própria mãe, Kesa promete a Morito tornar-se sua esposa se ele matar Watabane. Ela lhe dá a chave do seu quarto e, para evitar qualquer engano, combina de cobrir a lâmpada do seu aposento com um véu.

Watabane está deitado. Kesa finge ouvir um barulho no jardim. Desse modo, ela o afasta e deita-se em seu lugar no leito. Morito mata-a acreditando matar Watabane. Ele descobre o próprio engano e mata-se em seguida.

 

Sada Yacco como Katsuragi, A Gueixa em A Gueixa e o Cavaleiro a partir dos desenhos de F. D. Wallenn

 

A GUEIXA E O CAVALEIRO

Em 2 atos

 

Nagoya . . . . Kawakami

Banza . . . . Tsusaka

Músico ambulante . . . . Kimisabro

Cantor . . . . Fujita

Dançarino . . . . Wada

Orihimé . . . . Takanami

Tochimembo . . . . Fujikawa

Kinkanbo . . . . Yamamoto

Amembo . . . . Nogaki

 

Katsuragi – Gueixa – Sada Yacco

Padres, Servidores etc.

 

ARGUMENTO

 

1º ATO

BAIRRO DAS GUEIXAS

Sada Yacco começa a dança nacional do Japão.

Nagoya, um notável cavaleiro, entra no bairro das Gueixas e encontra, por acaso, Katsuragi, a célebre Gueixa, a qual, por uma fatalidade singular, se apaixona loucamente por ele. Um outro cavaleiro, Banza, frequentador assíduo do bairro, apaixonado pela bela Gueixa, é rejeitado por ela. Banza fica com ciúmes, e aguarda uma oportunidade para se vingar.

Os dois cavaleiros encontram-se no bairro: Banza para bruscamente Negoya e bate com a sua espada na extremidade da espada do seu rival. Esse ato – chamado sayaté – é considerado extremamente desonroso pelos senhores daquela época. Nagoya tenta educadamente atenuar a situação, mas Banza força-o a um duelo. Katsuragi intervém e separa-os.

 

2º ATO

TEMPLO DÒJOJI

Nagoya é noivo de Orihimé, uma jovem cuja beleza rivaliza com o charme da amante de seu noivo. Orihimé espera em vão o retorno de Nagoya, e, desesperada, resolve sair em busca de seu amado.

Ela reencontra-o no bairro das Gueixas. Orihimé obriga seu noivo a deixar o local, e para evitar a perseguição da ciumenta Gueixa, eles se escondem num templo cujo acesso, seguindo as leis budistas, é proibido às mulheres. Katsuragi logo chega ao local, mas os sacerdotes recusam a sua entrada. Ocorre-lhe então uma ideia espirituosa para burlar essa lei: ela propõe aos sacerdotes do templo uma dança para agradar ao Deus budista. Os sacerdotes, encantados, permitem que a Gueixa entre no templo e dance para eles. Após a dança, eles se dão conta de que infringiram a lei sagrada, e tentam retirar Katsuragi que, nesse meio-tempo, descobre o esconderijo do casal: ela insulta Orihimé, precipitando-se contra ela. Após uma cena dramática, a Gueixa, com o coração partido, expira nos braços do seu amante.

 

 

PARA CITAR ESTA PUBLICAÇÃO

DA MATA, Paulo Aureliano (org.). “‘Kesa’ e ‘A Gueixa e o Cavaleiro’”. eRevista Performatus, Inhumas, ano 5, n. 18, jul. 2017. ISSN: 2316-8102.

 

 

Tradução de Fernando L. Costa

Revisão ortográfica de Marcio Honorio de Godoy

© 2017 eRevista Performatus e organizador

Texto completo: PDF