Colaboradores

 

DAVI GIORDANO (Rio de Janeiro, Brasil, 1988) é diretor, professor e escritor de teatro e performance. Mestre em Estudos da Performance pela UNIRIO e doutorando em Artes Cênicas pela UFRGS. Formado em Direção Teatral pela UFRJ. Formação complementar de Cinema e de Crítica de Arte, tendo participado como aluno estrangeiro do convênio do programa de intercâmbio acadêmico bilateral (agosto 2010 – julho 2011) dentro do curso de Artes Combinadas na Universidad de Buenos Aires (UBA, Argentina). De 2011-2012, foi bolsista PIBIC/UFRJ do projeto de investigação Encenações do Comum sob orientação de Denilson Lopes. De 2013-2015, foi artista-pesquisador contemplado com: a bolsa CAPES, que se deu no primeiro ano de mestrado, e a bolsa de destaque FAPERJ Nota 10, contemplada para o segundo ano de pesquisa. Também é ator formado pela Casa das Artes de Laranjeiras (CAL). Atualmente também trabalha como coaching de atores e profissionais de diversas áreas. Há dois anos desenvolve uma metodologia específica de trabalho de performance para jovens e adolescentes. Este trabalho intitulado Ensino Des.Formal já foi desenvolvido em mais de quatro cidades do interior do Rio de Janeiro e São Paulo. Possui dois livros publicados: “Teatro documentário brasileiro e argentino: o biodrama como a busca pela teatralidade do comum”, que já foi lançado no Rio de Janeiro, Bauru (Brasil) e na Feira Internacional do Livro de Buenos Aires (Argentina); e “Mercedes: a história de vida de Mercedes Baptista sob a ótica negra como poética cênica do Grupo Emú”, lançado no Rio de Janeiro. Já apresentou seus trabalhos no Brasil, na Argentina, nos Estados Unidos e na França. Colaborador da Revista Performatus. Professor substituto do Curso de Licenciatura-Teatro da UFPel na área da Pedagogia do Teatro.

 

RENAN MARCONDES (São Bernardo do Campo, SP, Brasil, 1991) é artista visual, performer e pesquisador. Seu trabalho compreende os campos da performance, coreografia e instalação. Doutorando em Artes Cênicas pela ECA USP, Mestre em Poéticas Visuais pela UNICAMP e especialista em História da arte: teoria e crítica pelo Centro Universitário Belas Artes de São Paulo, instituição onde também obteve o bacharelado em Artes Visuais. Artista premiado com o Proac primeiras obras de dança 2014, 1º lugar no Setor de performance na sp-arte; artista premiado no 26º Salão de Arte da Juventude do SESC Ribeirão Preto e prêmio estímulo do 40º Salãode Arte Contemporânea Luiz Sacilotto. Em sua formação em dança passou pelos professores e artistas Tica Lemos, Key Sawao, Juliana Moraes, Cristiano Karnas, Cristian Duarte, Wellington Andrade, Andreia Yonashiro. Membro do corpo editorial da eRevista Performatus. Em 2013 une-se à artista Carolina Callegaro e fundam o Pérfida Iguana, polo de produção em dança contemporânea que dá prosseguimento às pesquisas de Callegaro, dentro do qual se encaminham para seu quarto espetáculo (Sem Luz, produção do Proac de Dança 2016). Como intérprete, já realizou performances de Laura Lima, no MAM-SP (Bala de homem/carne = mulher/carne), Tino Sehgal, na Pinacoteca de São Paulo (Kiss), Clarissa Sacchelli, no Centro Cultural São Paulo, TUCA e Central Galeria de Arte (Sem título) e integrou a Companhia Perdida (direção de Juliana Moraes) em 2013, atuando também como intérprete de Peças curtas para desesquecer (2012). Principais exposições e mostras: Protetores de Proximidade Humana (exposição indidivudal na Temporada de Projetos – Paço das Artes/MIS); O que pode um corpo (exposição individual em Guimarães/portugal), Contra corpo (exposição individual na Oficina Cultural Oswald de Andrade) 7º Salão dos artistas sem galeria (Zipper Galeria e Galeria Sancovsky), 11ª VERBO (Galeria Vermelho), Festival Now&After, Bienal Internacional de Dança do Ceará; 65° Salão de Abril de Fortaleza, Mostra Performatus #1 (Central galeria de arte); ABRE ALAS 10 (A gentil carioca).